Abril 2024

  • Violentos (%) 28
  • Negativos (%) 40
  • Positivos (%) 17
  • Neutros (%) 15

O Paz na Mídia analisou 2.474 matérias veiculadas pelos quatro telejornais nacionais no mês de abril de 2024 e constatou que 40% do tempo foi dedicado a assuntos negativos (29h51′). A violência foi mostrada em 28% do tempo (21h07′). Já assuntos positivos ocuparam 17% do tempo (12h56′). Assuntos violentos e negativos somaram 68% do tempo dos telejornais. Entre o conteúdo classificado como negativo e violento, identificamos 18% (9h03′) como negativo reflexivo e 41% (20h45′) como negativo tóxico, 29% (14h48′) como violento tóxico e 12% (6h24′) como violento reflexivo. As imagens mostradas e as informações passadas provocam no telespectador sensações de raiva, angústia, insegurança e medo. São gatilhos para o desenvolvimento de doenças psicológicas e o consumo de psicotrópicos e álcool. Precisamos desenvolver essa reflexão sobre o modo como a mídia retrata de maneira infiel e desequilibrada a violência em suas notícias.

Veja as tabelas completas aqui.

Resultado por Emissora

  • Violentos (%) 24
  • Negativos (%) 43
  • Positivos (%) 23
  • Neutros (%) 10

TV Bandeirantes

  • Violentos (%) 29
  • Negativos (%) 39
  • Positivos (%) 16
  • Neutros (%) 16

TV Globo

  • Violentos (%) 32
  • Negativos (%) 46
  • Positivos (%) 13
  • Neutros (%) 9

TV Record

  • Violentos (%) 29
  • Negativos (%) 31
  • Positivos (%) 15
  • Neutros (%) 25

SBT

Deixe sua Opinião

Leia também

Março 2024

  • Violentos (%) 29
  • Negativos (%) 35
  • Positivos (%) 19
  • Neutros (%) 17

3.075 matérias analisadas dos quatro telejornais nacionais em março de 2024, e 64% do tempo foi de assuntos negativos ou violentos.

Confira o relatório completo

Fevereiro 2024

  • Violentos (%) 29
  • Negativos (%) 43
  • Positivos (%) 17
  • Neutros (%) 11

2.728 matérias analisadas dos quatro telejornais nacionais em fevereiro de 2024, e 72% do tempo foi de assuntos negativos ou violentos.

Confira o relatório completo

Faça Parte

Vamos agir para estimular o consumo consciente de mídia e a produção de conteúdos que melhorem a vida das pessoas.