Coronavírus faz negatividade da mídia chegar a 85%

  • Violentos (%) 7
  • Negativos (%) 78
  • Positivos (%) 8
  • Neutros (%) 7

Em março de 2020 o tema foi a epidemia de coronavírus, responsável por manter em 78% o índice de notícias negativas das 2.327 matérias veiculadas pelos quatro principais telejornais do Brasil, com exaustivos relatos sobre o avanço da doença, mortes e problemas no atendimento de saúde. Ainda houve espaço para 7% de notícias que mostraram violência (5 horas e 20 minutos), apesar de que os índices de segurança pública melhoraram com o isolamento das pessoas. Somadas, as notícias negativas e violentas somaram 85%.

O coronavírus é, sem nenhuma dúvida, um grave problema de saúde. Mas é motivo de reflexão se a carga brutal de notícias negativas faz com que o medo extrapole os limites do razoável e, mais do que informar, deixe a sociedade excessivamente alarmada.

As declarações do presidente Jair Bolsonaro em tom de desdém quanto ao novo coronavírus e incentivando que a população brasileira a trabalhar sob condições de risco causou uma grande repercussão negativa, dentro e fora do país.

Além de suas declarações negativas registradas pela imprensa, Bolsonaro convocou apoiadores para irem às ruas no dia 15 de Março para protestar contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF), indo contra todas as recomendações dadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e,até mesmo por seu ministro da saúde. Bolsonaro também sofreu Inúmeras críticas por sua contínua propagação de fake news sobre o assunto e sua constante afirmação de que a pandemia não passara de uma “fantasia”.

Para evitar uma maior contaminação da população, governadores do país inteiro implementaram medidas de isolamento social por 15 dias. O excesso de informações que, por diversas vezes, tornaram-se confusas, fez com que a população estocasse mais alimentos, itens de higiene pessoal, álcool em gel e máscaras, prejudicando famílias mais necessitadas que não dispunham de dinheiro suficiente para comprarem também.

Foram noticiadas diversas denúncias sobre preços altamente abusivos em produtos como álcool em gel e máscaras, e, também, sobre falsificações de produtos como tentativa de lucrar e tirar vantagem do pânico causado pelo COVID-19.

O noticiário também trouxe 8% de notícias positivas e exemplos de solidariedade, como  pessoas que procuraram ajudar grupos de risco e àqueles em situações de rua, países realizando doações de equipamentos médicos como máscaras e respiradores e o incentivo de combater fake news sobre o novo Coronavírus.

Veja as tabelas completas da nossa análise aqui.

Resultado por Emissora

  • Violentos (%) 6
  • Negativos (%) 74
  • Positivos (%) 10
  • Neutros (%) 10

TV Bandeirantes

  • Violentos (%) 3
  • Negativos (%) 85
  • Positivos (%) 5
  • Neutros (%) 7

TV Globo

  • Violentos (%) 8
  • Negativos (%) 78
  • Positivos (%) 10
  • Neutros (%) 4

TV Record

  • Violentos (%) 16
  • Negativos (%) 74
  • Positivos (%) 8
  • Neutros (%) 2

SBT

Deixe sua Opinião

Leia também

Outubro 2023

  • Violentos (%) 53
  • Negativos (%) 22
  • Positivos (%) 14
  • Neutros (%) 11

2.509 matérias analisadas, veiculadas pelos quatro telejornais nacionais no mês de outubro de 2023, e constatamos que 75% do tempo foi dedicado a assuntos negativos ou violentos.

Confira o relatório completo

Setembro 2023

  • Violentos (%) 20
  • Negativos (%) 46
  • Positivos (%) 22
  • Neutros (%) 12

2.672 matérias analisadas, veiculadas pelos quatro telejornais nacionais no mês de setembro de 2023, e constatamos que 66% do tempo foi dedicado a assuntos negativos ou violentos.

Confira o relatório completo

Faça Parte

Vamos agir para estimular o consumo consciente de mídia e a produção de conteúdos que melhorem a vida das pessoas.